7 de outubro de 2011

"Ceia da Cultura Popular" 2011



Acrílica sobre tela 30 x 30 cm
Acervo particular.

Ainda tomada pelas águas de inspiração que se chama Mama Frei, sentir-me a vontade para tecer um comentário acerca desta obra tão intrigante-fascinante, em que evidencia a ceia de Cristo e os apóstolos da cultura popular. Em termos de composição reflete uma mistura de estilos, embora faça referência mais ao Naif , visto que também o conceito do falado “ingênuo” está em abordar a cultura, o cotidiano de maneira simples, sem recursos técnicos do clássico e surge então enquanto substrato conceitual da obra. Esta representação da última ceia de Jesus, encerra uma discussão poética e subjetiva da humanidade, depois do brilhante comentário da Mama Frei , só posso acrescentar algumas palavras, de modo que as 13 figuras humanas evidenciadas formam um número interessante segundo Assis Costa, tendo para ele um significado místico positivo, aí estão o maracatu, com sua indumentária fantástica! Ao lado do mamulengueiro, do cordelista com o seu folhete de Lampião. O mestre de Boi de Reis, o Rabequeiro, os trios de forró sertanejos, violeiros, assim como estão dispostos sobre a mesa, o alimento da Cultura, a produção artesanal em cerâmica mostrando a continuidade, a descendência de mestre Vitalino em Caruaru-PE e o Galo de São Gonçalo do Amarante, símbolo da cerâmica potiguar, está ali numa metáfora do nascimento e morte do Cristo. O colorido bem harmonizado preenche a tela completamente, onde nesse espaço como numa saudação aos clássicos não poderia deixar faltar um cão, algo que já pode ser considerado uma marca na obra de Assis Costa. Incluindo entre os animais o Boi, o Galo e a pomba, signos cristãos que embevecem a literatura e a iconografia cristã ocidental. É uma verdadeira homenagem do artista aos que fazem a cultura, talvez aquele sentado na mesa seja o próprio artista ou algum expectador a observar esse banquete de amor, tradição e beleza que só a arte pode exprimir.

Ilka Pimenta. 26/10/2011.

8 comentários:

  1. Nooooossa! Mais expressivo não poderia ser! Intertextualidade coerente à realidade nordestina. Um verdadeiro banquete cultural. A mística da sagrada ceia é, pois, isto: a comunhão do que temos de melhor. Parabéns ao artista pela sensibilidade inerente e pela capacidade de expressar por meio de custosas pinceladas a arte semiótica da vida! Grande abraço, Mamafrei.

    ResponderExcluir
  2. OBRIGADO! Mama Frei. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Assis, você é um artista grandioso que nos enche de orgulho, parabéns e muito sucesso SEMPRE!Fátima Oliveira

    ResponderExcluir
  4. Muito grato por suas palavras, mas sem dúvida, a estrada para a grandeza ainda é longa!

    ResponderExcluir
  5. Assis,

    Faço minhas todas as palavras da minha Querida Professora Edna. Parabéns...Você é um artista... rsrsrs
    Margarida

    ResponderExcluir
  6. Fico feliz por suas palavras Margarida, elas também serão acrescentadas a esta ceia de idéias.

    ResponderExcluir
  7. Esse camarada além de ser uma ótima pessoa para uma boa "prosa" e uma prometida Stella Artois é um artista nato que consegue como ninguém retratar o nosso Seridó.

    ResponderExcluir
  8. Um dia pintarei algo parecido com uma ceia composta só de amigos, só que será uma ceia sem nada de santa, ou pelo menos terá a santa amizade dos bebedores.

    ResponderExcluir

Agradeço seu comentário. Ele será moderado e posteriormente publicado.